sábado, 31 de maio de 2008

Dia 1 (17 de Maio) - Parte 3 de 3

O próximo e ultimo cliente estava apenas a 5 minutos da adega de Luís Pato. Se por um lado estão bem perto um do outro, em termos de visão, uma enorme distância os separa. Deixamos então o reino da Baga e passámos para a nova Bairrada. A bairrada de Carlos Campolargo.
Chegados a uma magnifica e imponente adega, iniciamos a visita pela mega estrutura. Tudo pensado ao pormenor, ali o objectivo é um tratamento especial desde a chegada da uma até ao ultimo minuto em que se deitam as garrafas para serem comercializadas. Com uma fantástica vista sobre algumas das vinhas, lá fomos subindo andares até chegar ao local da prova de vinhos:

Os vinhos de Campolargo:


Brancos


Entre II Santos 2007
Muito aromático. Nariz do Sauvignon que se encontra em esmagadora percentagem. Muito fresco e de bom equilíbrio. Para o preço pedido por ele....muito bom

Campolargo Bical 2004
Ainda mostra muita baunilha mas já esta complementado com notas petroladas, e sensações vegetais. Boca de bom volume com curiosa sensação de salinidade. que me achei no minimo interessante. Gostei

Campolargo Arinto 2007
Ainda se encontra algo marcado pela madeira onde estagiou. Precisa de tempo para melhor integração, aliás só há bem pouco tempo foi engarrafado. Ainda que possa ter predominância da madeira, na boca mostrou-se bem mais fresco e de boa acidez. Esperemos por ele.

Campolargo Verdelho 2007
Um novidade deste produtor. Quase uma experiencia dado que a produção vai ser quase inexistente. Ainda sofria pelo engarrafamento. Muito fechado, teimava em libertar tudo o que ele parece ter. Boca com belissima acidez e frescura. Será bem melhor. Eu vou querer provar mais tarde.

Pinote 2007
Outra novidade. Feito de Bical, Arinto, Verdelho e Viognier. Muito aromático e frutado, com a Viognier a marcar o ritmo.
Fresco, intenso e com final longo. Boa acidez. Espero por ele


Tintos

Entre II Santos 2004
Aroma de fruto maduro e com algumas notas de armário.
Boca redonda com taninos ligeiramente eriçados, no final.

Entre II Santos 2006
Fruto Silvestre, Especiaria. Jovem na boca. Vinho que pede para já alguma comida para o acompanhar. Boas RPQ

Vinha do Putto 2005
Aroma marcado pelo Cabernet Sauvignon. Notas de pimento e de fruto vermelho. Bem na boca. Redondo e frutado. Gostei

Termeão Pássaro Branco 2005
Aroma frutado acompanhado com flores e especiarias. Boca quente com taninos bem presentes.

Termeão Pássaro Branco 2006
Tal como o anterior mas deste feita muito mais floral e com maior intensidade aromática. Boca algo rebelde, com taninos muito presentes. Virá a melhorar.

Termeão Pássaro Vermelho 2002
Apresenta já alguma evolução. O Cabernet parece marcar o conjunto. Muito bem na boca, apresenta-se cheio de vigor ainda. Taninos ainda por polir.

Termeão Pássaro Vermelho 2006
Intenso, muito intenso. Notas florais, fruto muito maduro. Boca de grande intensidade com notas especiadas e de fruto. Final longo. Muito bom

Campolargo 2005
Feito de Pinot Noir (90%) e de Baga (10%). Aroma muito discreto. Elegante este vinho, mostra notas de fruto silvestre que acompanham alguma especiaria.
Boca muito delicada e elegante com notas de fruto confitado.

Campolargo 2004
Feito apenas de Pinot Noir. Muito elegante, este vinho mostra as mesmas tendencias aromáticas que o vinho anteriormente descrito.
Na boca é mais elegante e mais delicado. Como já tive oportunidade de verificar, este vinho muda muito desde que se coloca no copo. É complexo e muito interessante. Eu gosto muito deste vinho

Vinha da Costa 2005
Uma aroma rico é o que distingue este vinho. Fruto Maduro, Especiaria e notas de boa barrica. Vinho com bom equilibrio no nariz e na boca. Elegante.

Vinha da Costa 2001
Ainda com muita intensidade. Não parece mostrar notas de evolução precoce e parece estar a evoluir em sentido positivo.

Rol de Coisas Antigas 2005
Este é sempre um dos meus preferidos. Não consigo deixar de gostar deste vinho, prova após prova. O seu lema é a complexidade que apresenta no nariz e uma certa potencia e rusticidade na boca. Um belo vinho no meu entender.

CC 2004
Muito intenso no aroma, com notas de fruto maduro, algum vegetal e especiaria. Boca de bom porte e com taninos bem integrados e polidos. Gostei

Diga? 2006
Aroma de fruto maduro, fumo e sensações minerais. Boca de excelente porte, cheia, intensa e com interessante frescura. Belo vinho

Diga? 2004
Mantém o perfil do anterior mas penso que será bem mais potente. Não me parece ainda estar no ponto óptimo de consumo. Mostra uma boca ainda muito jovem

Calda Bordaleza 2006
Um portento de vinho. Notas de fruto muito maduro, muito mineral. Tudo é muito intenso neste vinho. Precisa de ser decantado e sobretudo precisa é de tempo em garrafa. Belo vinho

Calda Bordaleza 2004
Mantém de certo modo a intensidade que tinha quando "nasceu". no meu entender ainda não perdeu toda aquela extracção que o caracterizava. precisa ainda de algum tempo para conjugar tudo. Na boca pareceu-me muito bem, apesar de tudo.


Esta prova foi a prova de que a bairrada não é só Baga, a prova de que muitas castas podem ter resultados fantásticos onde menos se espera. No meu entender, este postura de experimentação é de todo saudável a uma região como a Bairrada. Há espaço para a Baga mas também para todas as castas que tenham bons resultados. Aqui invoco mais uma vez a capacidade dos vinhos brancos bairradinos. Quanto a Campolargo, que se mantenha firme nas suas convicções, pois é autor de belos vinhos e sobretudo de belas relações entre o preço e a qualidade. E isso meus amigo, é muito importante nos dias que correm





0 comentários:

Blogues Recomendados

Blogues Recomendados

  • Prova - *Solstício. 2 Barricas (t) 2010* Diga-se desde já que conhecemos bem o homem por detrás deste vinho - isto é uma declaração de interesses (apesar de todo o...

Arquivo do blogue

  © Blogger template 'External' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP