quarta-feira, 28 de maio de 2008

Dia 1 (17 de Maio) - Parte 2 de 3

Já longe de Arouce, era a vez de iniciarmos a visita à região da Bairrada. A primeira adega a que visitaríamos iria ser em Ribeira de Gândara, o Quartel-General do Sr Baga, Luís Pato. Uma vez que por esta ocasião poderiamos fazer uma dupla visita, estava também, obviamente, presente a jovem talentosa, Filipa Pato.
Após uma pequena visita ao interior da adega, fomos brindados com uma prova fantástica e extremamente didáctica. O que se fez, o que se faz, e o que se pensa fazer, poderia ser o titulo de introdução deste magnifico alinhamento. Estavam presentes os seguintes vinhos:

Brancos


Luís Pato Vinhas Velhas 2007

Já o tinha provado em outra ocasião neste Blog. Está neste momento a melhorar a olhos vistos. Parece tender para uma certa elegância. A acidez garante frescura e é a sua maior aliada. Muito equilibrado.

Luís Pato Maria Gomes 2007
Também este parece estar bem melhor. Não foi um vinho que me tivesse agradado muito da primeira vez que o provei, mas pelo preço que se pede por ele, trata-se de uma grande RPQ. Não é isso mesmo que todos procuramos dia a dia?

Luís Pato Vinha Formal 2007
Não me canso de adorar este vinho. Acredito piamente nos brancos Bairradinos. Este Formal 2007 é absolutamente fantás
tico. Está ainda algo fechado mas garanto que o potencial que encerra parece-me ser enorme. Frescura e equilibrio são a "espinha dorsal" deste vinho.

Luís Pato Vinha Formal 1998
Aromas de oxidação dominam inicialmente o aroma deste vinho. Já são 10 anos de Vinha Formal e este foi o primeiro deles. Com algum arejamento desvanece um pouco o cariz oxidado. A boca segue de perto o que se encontrou no nariz, no entanto garanto-vos que consigo retirar ainda muito prazer deste vinho.


A vez da Filipa Pato:



Nossa 2007
É uma novidade e uma uma surpresa. Este é um vinho feito a dois entre Filipa Pato e William Woulters (Escanção e Proprietário do Restaurante/Winebar Pazzo, em Antuérpia). Feito a partir das Castas Encruzado e Bical. Para já pareceu-me ser o Encruzado a comandar as operações, no nariz. Notas vegetais e anisadas emanavam de um aroma bastante interessante. A boca tem excelente acidez. e um fantástico sabor. Adorei este "Nossa".


Filipa Pato Ensaios 2001
Já com bastantes aromas de oxidação. São as notas de caramelo que dominam por completo o aroma deste vinho. A Filipa Pato quis mostrar, espero que orgulhosamente, o seu primeiro Ensaios branco. Serviu para vermos o quanto ela vem melhorando desde essa altura.


Tintos


Luís Pato Qta do Ribeirinho Pé Franco 2005
Muito jovem este vinho, no nariz. Aroma complexo com notas de fruto maduro, muita especiaria e intenso herbáceo.
Na boca curiosamente não é o "monstro" que o nariz queria fazer anunciar, no entanto parece-me longe, muito longe, do momento ideal de consumo. Belo Vinho.

Luís Pato Vinha Pan 2001
Intensidade de no fruto e na Especiaria que a
presenta. Boca ainda muito jovem e com bastante adstringência.

Luís Pato Vinha Barrosa 2001
Intensidade aromática incrivel. Complexidade estrutura, joventude, e um vinho com um final excepcional. Grande vinho. Para mim, do melhor.

Luís Pato Qta do Ribeirinho Pé Franco 2001
Não me pareceu ter a intensidade do Barrosa. Também muito jovem e com um belo final. Está ainda longe do seu melhor ponto. Belo vinho também.


Luís Pato Vinha Barrosa 1997
Ao contrário dos Barrosas anteriores, este 97 pareceu-me já estar bem pronto para ser consumido. Aliás, considerando o vinho em questão pareceu-me pronto demais. A altura de deixar a juventude e iniciar o envelhecimento parece estar a dar-se num ritmo acelarado. Em breve estará na plenitude pois os taninos parecem ainda querer aguentar-se.


Luís Pato Vinha Barrosa 1995
Já está no seu melhor, ou em alguns casos, se a guarda não tiver sido a melhor, poderá já estar a ficar longo do ponto óptimo de consumo. É sem duvida um belo vinho mas iniciará depressa a sua curva descendente.

Luís Pato Vinha Pan 1995
Pareceu-me ter ainda mais vida pela frente que o barrosa. Está neste momento mais intenso e com menos notas oxidativas.


Luís Pato Qta do Ribeirinho Pé Franco 1995
Bem, este é o primeiro Pá Franco produzido. E que estreia....Um vinho enorme este 95. Complexo que baste, apresentou doses decadentges de muito fruto maduro, azeitonas, eucalipto. Boca com alguma adstringencia mas de um final monumental. Com algum arejamento iria com toda a certeza melhorar e melhorar. Fantástico

Luis Pato 1988 Vinhas Velhas
Não me pareceu muito exuberante nem intenso. Talvez a abertura da garrafa tivesse libertado muitos anos de garrafa. No entanto, para um vinho com 20 anos, pareceu bastante jovem na boca.

Luís Pato 1985
Mais fresco que o 88, este vinho parece ter uma vivacidade fantástica. São notas de verniz e notas mentoladas que se destacam. Um vinho já há muito que está feito, mas penso dar boa conta de si.

Luís Pato 1980
É para mim um momento sempre de alguma nostalgia quando provo o primeiro vinho de um produtor. A no caso do Luis Pato, quando tem Quase 30 anos de carreira, sinto-me ainda mais honrado. Este primeiro Luis Pato apresentou-se cheio de vivacidade, um vinho com inegável frescura, aromaticamente muitissimo interessante. É bom quando se recordam os velhos tempos. Gostei muito de o ter provado.



A sensação com que fiquei foi, que os vinhos do Luís Pato são essencialmente vinhos que merecem e podem ser guardados por muitos anos. São excelentes vinhos, disso não tenho a menor dúvida, mas que precisam de uma aproximação muito cuidada para quem não conhece a casta Baga. Vinhos bons à mesa, que necessitam sempre de decantação prévia.


Apòs uma prova destas, aliás uma retrospectiva de uma carreira, fomos brindados por um belissimo almoço. O almoço foi obra de um Chefe que até há data desconhecia mas que nos presenteou com um almoço fantástico.
O autor foi o Chef Jorge Fernandes que lecciona na Escola de Hotelaria de Mirandela, e que apresentou-nos a sua visão de um almoço tradicional mas com fantástica dose de criatividade. Espero ouvir falar dele mais vezes e muito em breve.

Aqui ficam algumas imagens do almoço:



Em Cima: Uns Amuse Bouche, uma Versão de Caldo Verde e Sardinha Marinada


Um Fantástico Bacalhau à Brás. Yummm


Como não podia deixar de ser, um Leitão da Bairrada. Molto Buono

0 comentários:

Blogues Recomendados

  • Carvalhas branco 2015 - Oriundo da mítica *Quinta das Carvalhas* (Real Companhia Velha) em pleno *Douro* e ali bem perto do Pinhão, este branco afirma-se a cada colheita (nasceu ...
  • Podem festejar! - Para balanço! Vai fechar para arrumações, para fazer o inventário e limpar os cacos que se espalharam num ápice. Há que voltar a colá-los, se conseguir. ...

Blogues Recomendados

  • Prova - *Solstício. 2 Barricas (t) 2010* Diga-se desde já que conhecemos bem o homem por detrás deste vinho - isto é uma declaração de interesses (apesar de todo o...

Arquivo do blogue

  © Blogger template 'External' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP